publicidade

Prática pedagógica

Qual é a utilidade do ditado feito pelo professor?

Beatriz Vichessi. Com reportagem de Daniela Almeida e Rita Trevisan

Pergunta enviada por Anna Erzilia Caetano Camilo, Cariacica, ES

Foto: Tatiana Cardeal
Foto: Tatiana Cardeal

O ditado é um instrumento que serve bem como uma forma de avaliação. Esporadicamente nas séries iniciais, durante o aprendizado do sistema ortográfico, ele pode funcionar como um mapa de possíveis dificuldades que a classe apresente em relação a um grupo de palavras que tenham sido objeto de estudo. Ainda assim, muitos professores insistem em utilizá-lo como uma estratégia de ensino para trabalhar ortografia e normas gramaticais. No entanto, ditar pequenos textos ou listas de palavras descontextualizadas para os alunos escreverem, fazer a correção coletiva registrando no quadro a forma correta e pedir que corrijam o que erraram é uma dinâmica pouco útil para ensinar regras. Isso porque ela deixa a turma em uma postura passiva, apenas conferindo o que acertou ou errou. Como se pode observar, o foco da atividade é realmente avaliar o que é sabido ou não. Além disso, a prática evidencia o erro e categoriza os alunos entre os que estão "bem" em ortografia e os que estão "mal" e precisam copiar. E a cópia, por sua vez, acaba funcionando como uma punição.


Consultoria Irandé Antunes, pesquisadora e professora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA
e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários

Na dúvida? NOVA ESCOLA responde

 

Publicado em NOVA ESCOLAEdição 225, Setembro 2009,

 

Associação Nova Escola © 2016 – Todos os direitos reservados.