publicidade

Assim não dá!

Privar os alunos com deficiência dos desafios

Heloisa responde

Heloisa Ramos é formadora de professores
e responde dúvidas sobre sala de aula.

Clique aqui para mandar a sua dúvida

O desafio é um recurso usado em qualquer boa proposta de ensino. E não há por que não aproveitá-lo com alunos que tenham necessidades educacionais especiais (NEE). Como ocorre com todas as crianças, esse procedimento ajuda a promover a aprendizagem. Quem tem na sala um estudante com algum tipo de deficiência geralmente conhece suas limitações, mas não tem claro o que, de fato, ele é capaz de fazer. Como descobrir isso? Flexibilizando as atividades e propondo situações de aprendizagem desafiadoras. Elabore as aulas pensando em como ele pode participar delas, sem tratá-lo como café com leite. Adapte as propostas para que ele seja protagonista e resolva-as individualmente ou em dupla. A flexibilização pode se dar em diferentes dimensões: tempo, espaço, recursos ou conteúdo. Diferencie os meios para garantir os mesmos direitos e deveres para todos. Observe os avanços de cada estudante e adapte seu planejamento. Lembre-se de que, independentemente de ter ou não NEE, um aluno nunca é igual ao outro. Sempre existe espaço para novos desafios. Em novaescola.org.br/extras, há mais informações sobre como flexibilzar as aulas.

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA
e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários

 

Publicado em NOVA ESCOLA Edição 246, Outubro 2011.

 

Associação Nova Escola © 2016 – Todos os direitos reservados.