publicidade

Especial Brincadeiras Regionais | SUDESTE

Giz, pano e mãos à obra em Minas Gerais

Elisa Meirelles

Especial Brincadeiras Regionais

Quem não se lembra de desenhar uma amarelinha no chão? Diversões como essa correm o risco de ser esquecidas. Mas há instituições empenhadas em resgatá-las, como NOVA ESCOLA pôde comprovar em Minas Gerais.

Na capital, o Museu dos Brinquedos convida as crianças a conhecer bonecas e outros objetos antigos. Em seguida, elas vão para o pátio experimentar brincadeiras de rua. "A ideia é mostrar a elas a importância dessas práticas", explica Nayara Aline de Souza, coordenadora de atendimento do Museu. Durante a visita, os alunos do 2º ano do Colégio Santo Antônio rodopiaram na amarelinha caracol e correram para brincar de barra-manteiga, como você confere abaixo.

Cenas semelhantes são encontradas em Curvelo, a 165 quilômetros de Belo Horizonte. Lá está o projeto Ser Criança, do Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento (CPCD). "Começamos as tardes com uma grande roda, em que as crianças podem opinar", explica a coordenadora Onésima Mourthé. Muitas vezes, alguém traz uma novidade e a ensina aos demais. Foi o caso da briga de galo. Hoje, todos conhecem as regras de cor. De lá, você também pode conhecer a clássica disputa de pedra, papel e tesoura. 

Veja as quatro brincadeiras de Minas Gerais

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA
e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários

 

Publicado em NOVA ESCOLA Edição 253, Junho/Julho 2012.

 

Associação Nova Escola © 2016 – Todos os direitos reservados.