publicidade

Entrevista com Peter Hunt

Pesquisador britânico destaca a complexidade e a riqueza dos textos feitos para crianças e fala sobre a validade de livros-brinquedo e daqueles que não têm sequer uma linha escrita

Rita Trevisan

Página de > >|
=== PARTE 1 ====
Peter Hunt. Foto: Marina Piedade
Peter Hunt

Ele foi um dos primeiros críticos contemporâneos a levantar a voz contra os preconceitos sobre os livros elaborados especialmente para as crianças. Professor emérito da Cardiff University, onde criou e ministra a disciplina de Literatura Infantil, a primeira do gênero na Grã-Bretanha, Peter Hunt lançou diversas obras sobre o assunto e recebeu prêmios importantes, como o International Brothers Grimm Award, concedido pelo International Institute for Children’s Literature, no Japão, para estudiosos de todo o mundo que fazem contribuições significativas para o progresso da pesquisa sobre a literatura infantil. 

Em sua produção, o britânico vem contribuindo para elevar o nível da discussão sobre o tema, na tentativa de que ele passe a ser encarado com mais seriedade e rigor teórico pelos adultos - em especial, pelos autores e críticos da área, que muitas vezes subestimam a inteligência das crianças. 

Durante recente visita ao Brasil, em virtude do lançamento do livro Crítica, Teoria e Literatura Infantil, Hunt concedeu esta entrevista à NOVA ESCOLA.

Para muitos, a literatura infantil é sinônimo de livros com letras grandes e várias figuras. Isso faz sentido?
PETER HUNT
De maneira alguma. Essa concepção existe porque, em diversas situações, os pequenos são subestimados pelos adultos. Entendo que, quando se está começando a ler, letras grandes e figuras podem facilitar a tarefa. Mas muita gente pensa que a literatura infantil tem de ser simples e objetiva só porque é para ser consumida pelos pequenos. Ainda hoje, as pessoas olham as obras infantis com certa indiferença, como se elas fossem inferiores. As únicas pessoas que as respeitam são aquelas que estão realmente próximas das crianças e sabem muito bem que elas não são criaturas estúpidas e sem opinião.

Por que a concepção de que a literatura infantil é inferior perdura?
HUNT
Muitas vezes, não se acredita que ela possa oferecer o mesmo tipo de prazer intelectual que a adulta. Além disso, em geral, presume-se que, por não ter uma vasta experiência cultural, a criança seja incapaz de fazer interpretações estéticas. Obviamente, um leitor inexperiente terá uma maneira diferente de apreciar um livro, as ilustrações e a história. Mas isso não significa que seja incapaz de fazê-lo.

=== PARTE 2 ====
=== PARTE 3 ====

Continue lendo a entrevista

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA
e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
Página de > >|


Fala, Mestre! Palavra de quem entende de Educação
Entrevistas com especialistas de diversas áreas, organizadas por ordem alfabética de sobrenome

  • De A a E
  • De F a M
  • De N a Z

 

Publicado em NOVA ESCOLA Edição 244, Agosto 2011. Título original: "A missão da literatura infantil é expandir o universo dos pequenos"

 

Associação Nova Escola © 2016 – Todos os direitos reservados.